E AGORA? COMO FAZER PARA MEU FILHO TOMAR ESSE REMÉDIO?

E AGORA COMO FAZER PARA MEU FILHO TOMAR ESSE REMÉDIO (1).png

Nem sempre é fácil fazer seu filho tomar uma medicação prescrita pelo pediatra. Muitas vezes, a criança não tolera o gosto, a textura e tem dificuldade para engolir quando é em comprimido, ou cápsula.

Antes de dar a medicação confirme as informações da receita (horários, dose); verifique se o medicamento que será usado está dentro do prazo de validade; estabeleça um lugar adequado e seguro – armário alto e trancado – para guardar o remédio, evitando assim que as crianças vejam, alcancem ou tenham acesso aos medicamentos.

Outras orientações importantes de segurança são: as famílias devem evitar a automedicação e nunca administrar medicamentos a crianças sem orientação médica ou por sugestão de terceiros; ter em casa somente os medicamentos que serão utilizados naquele momento; procurar comprar medicamentos que tenham tampa de segurança em suas embalagens; após o uso, jogá-los fora de forma adequada, junto com a embalagem; não nomear medicamentos como se fossem doces ou balinhas;  não tomar medicamentos na frente de crianças pequenas, uma vez que elas costumam imitar os adultos, e ensiná-las – desde cedo- a não aceitarem ou tomarem nenhuma substância além das oferecidas por adultos em casa.

Além disso:

Os medicamentos em apresentação líquida (ou suspensão) geralmente são aceitos com menos dificuldade por crianças menores do que os comprimidos ou cápsulas.

Aqui vão algumas dicas que podem facilitar esse momento tão estressante para os pais e para as crianças.

  • Nunca force a criança a ingerir o medicamento. Ela pode se engasgar, vomitar e se tornar cada vez mais resistente para aceitar o tratamento via oral.

  • Se a criança já puder compreender, explique porque ela precisa tomar a medicação. Deixe-a participar, segurar a seringa, etc. E sempre dê um reforço positivo quando ela auxiliar no processo.

  • Procure sempre dar a medicação no mesmo horário.

  • O melhor dispositivo para administração de medicação líquida – via oral – é a seringa, porque a quantidade é mais precisa que uma colher de casa, por exemplo. Além disso, colocando a ponta da seringa entre os dentes e a gengiva, o medicamento pode escorrer para a base da língua e a criança engole com mais facilidade.

  • Pergunte para o seu médico se o medicamento prescrito pode ser dado com uma pequena quantidade de líquido. Lembre-se: pequena quantidade, pois o objetivo é tomar toda medicação em um curto espaço de tempo.

  • Cuidado com os medicamentos sob forma de gotas, pois essa apresentação costuma ser mais concentrada, elevando o risco de intoxicação.

  • Siga sempre as orientações do seu pediatra, nunca dê mais e nem menos do que foi orientado.

  • Para as crianças mais velhas, beber um pouco de água gelada antes de tomar o medicamento pode reduzir o gosto desagradável da medicação.

  • No caso de comprimidos e cápsulas difíceis de engolir, antes de macerá-los ou abrir a cápsula, veja com seu médico se isso pode ser feito, se não altera seu resultado final, e se é possível misturar com alimentos como mingau, iogurtes, etc.

  • E por último, se ainda assim houver rejeição ao medicamento causada pelo sabor, veja com seu médico se é possível substituir o remédio por algum outro mais palatável para a criança.

Fonte: Departamento Científico de Cuidados Hospitalares da Sociedade de Pediatria São Paulo